26 de abril de 2009

a exérese dos sentidos; alguns medos e afins – e dores...

-----Eis que um telefonema bastou para me alterar os planos: e é já amanhã que vou à faca, coisa que só estava a prever para Junho. Contudo, os senhores da Saúde, céleres quanto baste, descobriram espaço nas suas congestionadas agendas para a minha (– eles é que dizem!) simples cirurgia. Era pegar ou largar: as filas de espera estendem-se para além da barreira dos anos, e eu peguei; mau grado a vontade que tive de largar.
-----Assim, estarei amanhã às 11 horas no hospital; e lá para o meio-dia sairei do bloco operatório com mais um corte na região nadegueira: é que, para mal dos meus pecados, a exérese cirúrgica de um quisto sacrococcígeo a que me submeti em Novembro – e da qual convalesci dolorosamente durante mais de três meses – não bastou; e esta é já a segunda temporada deste thriller tão cheio de sensações fortes, com facas, agulhas, toalhas e lençóis.

4 comentários:

Angelo Morgado disse...

boa sorte

Anónimo disse...

Poucas são as palavras que apaziguam o mau-estar de uma operação. Mas vai correr tudo bem!!!


kisses :_)


*Sílvia Marina*

Anónimo disse...

Pequenas cirurgias, mas demoradas convalescenças, o que interessa é fiques bem.
A Saúde significa harmonia entre o corpo e a mente, ela é a nossa maior riqueza.

Já dizia Jules Renard - "A melhor saúde é não sentirmos a nossa saúde."

Beijo

Ana Pinheiro disse...

Rápidas melhoras Luis :).
Beijoca.