5 de maio de 2009

inventários; certezas de que tudo passa e do muito que há-de vir...

-----A um mês de completar 34 anos de idade, chegou a altura dos meus balanços: não foi tudo mau; contudo não foi tudo bom. Procurei sempre motivos intensos para continuar a viver; e, na minha história – esta que escrevo neste blogue – custam-me apenas alguns amores (e outros incontornavelmente sofridos desamores) de que, em consciência, me não arrependo.
-----Trinta e três anos e onze meses; ainda me lembro das ansiedades de ser homem que afligiam a minha meninice. Tudo era belo e, no entanto, tudo se transformou: a criança que fui amadureceu terrivelmente, sobrando apenas uma leve recordação da sua meiguice. E isto para vos dizer que tudo passa; vertiginosamente, implacavelmente... completamente.

7 comentários:

Angelo Morgado disse...

numa coisa tens muita razão
a parte mais cruel da vida é quando temos que matar ou fechar para sempre a criança qu habita em nós, mas,
vendo a tua evolução desde fora, fico orgulhoso por ver quem é aquele outrora rapazinho travesso que passava as tarde a brincar com os meus irmãos e comigo embora fosse eu ainda um miniatura de gente, há coisas que nos marcam e a tu presença pela nosas vidas enquanto crianças marcou-nos muito e continua a marcar agora enquanto adultos.
es o maior!!!!
aquele abraço!!!!!!

Ana Pinheiro disse...

Tudo tem o seu momento.
Ser criança é bom... tudo nos parece eterno a começar pelos nossos pais. Eu tenhpo a plena consciência que parte da criança que fui um dia continua em mim no meu dia a dia, naquilo que sou, na forma de ver a vida e o mundo e na forma de viver. Mas crescer é bom. Tão bom. mesmo com todos os dissabores. Tantas sensações... O primeiro beijo, o primeiro emprego, o primeiro Amor, o Amor eterno, o primeiro filho, o primeiro neto... tanta coisa. Tens 34 anos de histórias e certamente terás outros tantos anos de histórias para viver :).

(Credo que testamento lol)
Beijos

Anónimo disse...

Viver é uma constante aprendizagem – O acumular de anos é o historial de todas essas aprendizagens, e chamamos a isso aniversários.
Quando somos novos, queremos ser mais velhos para podermos fazer tudo aquilo a que não temos ainda acesso – Conduzir, entrar numa discoteca, sair sozinhos, etc.
Quando os anos se acumulam, olhamos para nós e pensamos – Se tivesse menos idade ainda poderia fazer algumas “coisitas” para mudar este estado em que me encontro – Ainda irei a tempo?
Mas é bom recordar o caminho já percorrido, e podermos olhar para trás e vermos – os amigos que fizemos, a família que temos e os amores e desamores que já vivenciamos. A tudo isto acrescentamos o presente, que nos vai dando alento para continuarmos a percorrer muitos mais aniversários, mesmo que tudo continue a passar “ vertiginosamente, implacavelmente... completamente”.

Beijo

Manuel Morgado disse...

Lâmpadas partidas a pedrada, fios amarrados de lado a lado do caminho provocando a queda de inocentes transeuntes, escapadelas pela janela a sucapa.....
na! nem pensar, num vou comentar.

João Tomás disse...

Até a inteligente da Lili Caneças, num dos poucos momentos da sua vida de algum discernimento disse certa vez...:
- "Estar vivo é o contrário de estar morto..."
É aproveitar enquanto por cá andamos tendo sempre o esmero intrínseco a uma qualidade que tanto anda por baixo.
Viver com honra, e já agora com dignidade.
Fazer quem amamos feliz e superar todas as adversidades, de uma forma ou de outra.
ACREDITO QUE ÉS HOMEM PARA ISSO E MUITO MAIS.
Desde já os antecipados parabéns. Olha para trás e revive, com nostalgia, os bons momentos, aprende com as lições da vida, mas nunca te esqueças, "mano", que ainda temos "muito alcatrão para correr nesta auto-estrada" da vida.

Vai com calma, "não dês o corpo pela alma". (he he he)

Um abraço.

sem_iva disse...

Qualquer que seja o balanço, que seja positivo! Que do sofrimento retires ensinamentos e que das alegrias te fiquem boas recordações.

Beijinho

Serpa disse...

Meu caro amigo, resumindo a vida são 2 dias, o carnaval 3 dias e um deles já passou ! por isso "LIFE IS TOO SHORT... CARPE DIEM :) "